Construção
Decoração
Reforma
Vantagens do Drywall
4 minutes min

QUAIS SÃO AS DIFERENTES CONDIÇÕES DE RESISTÊNCIA AO FOGO DO DRYWALL? ENTENDA!

ENTENDA!

O drywall resistente ao fogo da Placo atende às normativas do Corpo de Bombeiros para garantir a segurança dos ambientes. Entenda como aqui!

Uma dúvida comum entre as pessoas que ainda não conhecem a fundo as placas de drywall é a segurança que elas podem oferecer a uma obra. Um exemplo é a placa de drywall resistente ao fogo, que apesar de ser tratada para aumentar sua resistência, causa receio em muitas pessoas.

Para acabar com mitos e levar mais clareza, preparamos um conteúdo com os diferentes níveis de proteção dessas placas e como elas atendem às normativas do Corpo de Bombeiros. Continue a leitura para entender!

O drywall consegue ser resistente ao fogo?

As placas de drywall são produzidas com uma mistura de gesso, água e aditivos, com três grandes grupos de chapas:

  • Standard: uso em áreas secas;
  • Verde: resistente à umidade; 
  • Rosa: resistente ao fogo.

A última das placas ganha essa cor graças à fibra de vidro e vermiculita aplicadas para retardar as chamas. Essa característica lhe transforma como uma opção ideal para rotas de fuga, saídas de emergência, paredes de compartimentação e depósitos de materiais em unidades industriais e comerciais.

Entretanto, vale ressaltar que todas as placas podem proteger uma construção já que 20% do seu peso é água. Isso significa que esse volume de água deve ser consumido pelo fogo antes dele destruir a construção.

Leia também: Drywall resistente ao fogo: mito ou verdade?

Qual o nível de proteção do drywall resistente ao fogo?

Para entender se um sistema construtivo pode ser usado em espaços como os citados acima, eles devem ter sua resistência ao fogo comprovada por ensaios laboratoriais. 

Nesses testes o tempo de resistência é determinado em minutos, podendo ser classificado como 30, 60, 90, 120, 150, 180 e 240.

Já as placas que serão necessárias em cada ambiente podem mudar de acordo com o Estado. Em São Paulo, por exemplo, o requisito são paredes divisórias entre unidades autônomas e entre unidades e áreas comuns de, no mínimo, 60 minutos. 

São consideradas unidades autônomas apartamentos residenciais e de hotéis, salas de aula e quartos de hospitais. 

Combustibilidade e placas de drywall resistentes ao fogo

Além de ser resistente ao fogo, é importante certificar-se que esse material não sirva de alimento para o fogo. 

Dependendo do tipo de espaço em que a placa será instalada, como residencial, comercial e hospitalar, as normas e as regulamentações do Corpo de Bombeiros também possuem limites de propagação de chamas e emissão de fumaça.

Esse é um quesito que o drywall se destaca como Classe II A, ficando apenas atrás dos incombustíveis, também conhecidos como Classe I. Isso significa que ele possui uma menor propagação de chamas e nível de emissão de fumaça em caso de incêndio.

Quais são outros benefícios da placa de drywall resistente ao fogo?

A própria Placo disponibiliza produtos feitos especialmente para áreas de risco. A placa RF é extremamente resistentes ao fogo, atendendo às mais rigorosas normas técnicas.

Essa placa tem desempenho elevado, garantindo que haja tempo hábil para resfriamento de salas para a recuperação de computadores e outros equipamentos importantes, além de garantir a saída de espaços com segurança em caso de incêndio.

Ela contém em sua composição gesso, aditivos e fibra de vidro, o que garante um tempo de resistência ao fogo e, consequente, altas temperaturas. Enquanto a fibra de vidro garante a manutenção térmica, o gesso é extremamente resistente ao fogo.

Confira suas principais vantagens:

  • Rapidez na instalação;
  • Baixa espessura;
  • Sistema leve e limpo;
  • Classificação IIA (Corpo de Bombeiros).

Com essa e outras placas da Placo, é possível ter a qualidade que você já conhece com uma tecnologia inovadora, que garante a proteção nos ambientes e proporcionando tranquilidade a curto, médio e longo prazo.